Economia avançando, empreendedorismo em alta, mas abrir o próprio negócio sempre gera dúvidas e preocupações, afinal, todo investidor busca um boa oportunidade, que gere resultados positivos. Diferente de começar um negócio do zero, o modelo de franquias possui algumas facilidades e um risco menor, já que existe uma estrutura pré-definida. Confira alguns dos motivos que consideramos encorajadores para optar por abrir uma franquia:

Invista no próprio negócio: 7 motivos para abrir uma franquia

O perfil do empreendedor direciona o modelo de negócio que ele irá escolher: risco alto ou baixo, capital de investimento, setor de atuação, interesses etc. As franquias contam com algumas particularidades:

1. Negócio aprovado, com menos riscos

Abrir uma franquia tem menos riscos e gera mais segurança ao investidor, uma vez que o negócio já foi testado e a marca é reconhecida pelo público-alvo. Assim, o tempo para começar a lucrar e ter retorno sobre o investimento é reduzido.

Por isso, na hora de escolher uma rede, é importante analisar sua reputação e aceitação no mercado, pois você estará representando aquela empresa.

2. Marca consolidada

Como dissemos, o franqueado contará com o reconhecimento da marca desde o primeiro momento. Isso é muito vantajoso, pois um dos maiores desafios de um negócio é fazer com que as pessoas conheçam sua marca, interessem-se e engajem-se. Começar o empreendimento com um público fiel é um ótimo incentivo.

3. Capacitação e apoio contínuos

Geralmente, as franquias têm equipes experientes e oferecem consultorias frequentes aos franqueados para garantir o sucesso da marca. Seja treinamento de vendas, estratégia de marketing, campanhas, plano de negócios, técnicas de atendimento etc.

Ter uma estrutura pronta e acompanhamento ajuda a alinhar o empreendimento e colocá-lo em funcionamento rapidamente. Isso também pode limitar inovações e ideias no decorrer do tempo, porém, muitas marcas estão abertas a mudanças e sugestões dos franqueados.

4. Plano de negócio estruturado

O Plano de negócios é um documento que contém dados e informações importantes sobre o mercado, o setor de atuação da empresa, os concorrentes, o cenário político-econômico e outros fatores essenciais para analisar a viabilidade, desenvolvimento e abertura do empreendimento.

A maioria das redes franqueadoras já possuem um plano de negócio com todos essas pesquisas e estudos realizados. Assim, o franqueado pode apenas avaliar as informações disponíveis e decidir se deseja abrir o negócio.

5. Orçamentos e despesas calculados

A franquia tem um modelo a ser seguido, incluindo plano arquitetônico, estimativas de custos, despesas e, muitas vezes, opções de localização das unidades. Assim, você já tem ideia do quanto será necessário de capital inicial para abrir sua loja.

6. Estratégia de marketing elaborada por especialistas

Geralmente, já existe um plano de marketing traçado para um determinado período, elaborado por profissionais experientes. No começo, isso ajuda muito o empreendedor, pois ele só precisa se organizar e seguir o planejamento. Com o passar do tempo, ele poderá verificar a eficácia das campanhas no âmbito local e adequar ou sugerir novas estratégias.

7. Maior chance de sobrevivência e continuidade

As franquias têm uma taxa de mortalidade menor que outros tipos de empresas. Conforme pesquisa da Rizzo Franchise, publicada pelo Estadão, no primeiro ano de funcionamento, o porcentual de mortalidade dos negócios é de 26% na área de varejo, 23% entre pequenos negócios e 3% no segmento de franquias.

Porém, vale lembrar que o modelo não é livre de riscos nem sinônimo de sucesso garantido, pois o êxito está relacionado à gestão de cada franquia. Por mais que exista uma estrutura de apoio e expertise da rede franqueadora, atendimento, organização e dedicação são fatores determinantes que dependem apenas da franquia.

Para aprofundar ainda mais no assunto, confira o post 5 dúvidas mais frequentes sobre franquias!

Guia completo franquia - Camisaria Italiana